FAQ

Início » FAQ

A

Ansiedade e crises

Cara X

Sim as crises de pânico têm solução e de facto 4 anos já seria tempo de ver resultados senão, estarem de todo resolvidas. O que se passa é que o tipo de "tratamento" que tem feito não é o mais indicado para o seu diagnóstico, pois como a própria X diz, deixa os medicamentos e tudo volta com muita intensidade. Precisa de perceber o que está na origem dessa ansiedade , geradora de tanto sofrimento. Isto é possível, fazendo Psicoterapia com um bom Psicólogo Clínico. Aí sim com este acompanhamento poderá conhecer-se melhor e aumentar os recursos psicológicos que lhe faltam para dar resposta a esta situação. O que é importante é trabalhar a esfera psicológica e emocional, visto que é essa a causa destas problemáticas, os medicamentos, vão apenas atenuando a dor sem nunca a resolver. Não espere resolução com os medicamentos pois "eles" nem foram feitos para esse efeito...
Cumprimentos,

Caro X
pelo que me descreve de facto tem crises de pânico intensas que só vão ser
resolvidas com Psicoterapia. Porquê? Porque a medicação , ainda que seja a
certa para o seu caso (e isso só você poderá dizer, se se sente bem ou não
com essa medicação), não resolve a causa das crises. è como se "anestesiasse" enquanto o efeito dos medicamentos actua, logo depois volta a ansiedade e as crises, pois falta resolver o essencial que é a origem disso, a causa, e os medicamentos isso não fazem de todo. Quanto a bibliografia, há muita coisa e com certeza tem andado a ler, mas se pensa que é por ler e conhecer muito bem a doença que a consegue contornar, devo dizer-lhe que isso nunca acontece, pois o seu problema é de ordem emocional e só pode ser resolvido no seio de uma relação terapêutica com um psicólogo treinado e especializado. Nada tem a ver com intelecto, por isso não é por ler que "se vai curar", não se iluda em relação a isso. Tenha força e não deixe prolongar mais esse sofrimento, pois como com certeza está a verificar as limitações são sempre maiores e não há necessidade disso se com terapia pode resolver o problema de raiz e não ter mais nenhuma crise.
Ao dispor,

Auto-conceito / dificuldades na esfera relacional

Cara X,

parece q essencialmente do q fala é de uma grande insegurança, desvalorização pessoal e de um Auto-conceito muito "fraco", q lhe causam todos esses problemas e dificuldades na esfera relacional e social. Por outro lado, ao falar da relação com a sua mãe, parece q esses pensamentos, não vêem do acaso ou não são desprovidos de significado... Bom, se continuássemos estaríamos aqui a especular. O q me parece é q a X precisa de se conhecer melhor, para poder apreciar o seu lado bom, forte, optimista...Possivelmente existem componentes depressivos em si, evidentes do seu discurso.

Vá em frente, é sempre mais difícil sozinho!

 

C

Criança desafiante/opositora

Cara X,

Pela informação do seu email, parece que a X está a seguir um percurso em termos do seu desenvolvimento psicológico e emocional inadequado. Essas birras q descreve, o fazer as coisas qdo. quer e quando não quer não faz, os choros como forma de manipulação constante... parecem sintomas de uma criança desafiante/opositora. Isto poderá ser grave, na medida em q a X parece estar em sofrimento e depois a estruturação da sua personalidade está a tomar contornos desadaptados q a fazem ter problemas no relacionamento com os outros meninos e também com os adultos. Se a situação permanecer, estes factores emocionais começam a prejudicar seriamente os intelectuais, isto é, a X à partida é uma criança esperta e com capacidades, mas se a situação continua, a parte da escola começa a ser afectada, se é q já não está a ser.

Neste sentido, parece-me importante q a leve a uma consulta, para fazer um Exame Psicológico, de modo a despistar estas hipóteses q levantei. Eu devolvo-lhe a informação pelo q me escreveu, mas ver a X em consulta seria essencial para lhe dar um diagnóstico preciso.

Em relação a si e à forma como lidar com ela é importante o "Amor Firme", ou seja, ser paciente, dedicar-lhe tempo de qualidade e estar com ela, pois é o que ela "reclama", mas nas birras saber pôr-lhe limites, "se é Não é Não " e não pode mudar de estratégia . Amor com firmeza nas decisões.

Espero ter dado resposta a algumas das suas questões, dentro dos limites que via email se pode esclarecer.

Com os melhores cumprimentos

 

Caro X,
A informação que se tem via email é sempre limitada para podermos fazer um diagnóstico preciso da situação, no entanto posso lançar algumas pistas de reflexão sobre o que se passa com o Y.
Ele rejeita os alimentos e não há problema físico; poderá ser uma atitude desafiante e opositora. Ele tem também atitudes destas relativamente a outras áreas do comportamento?
Diz também q ele é muito activo e esperto, ao ponto de isso poder ser prejudicial na escola. Estará  a falar de Hiperactividade? É q activas, todas as crianças saudáveis devem sê-lo, quanto à Hiperactividade, essa sim, já é um sintoma de algo perturbador e do sofrimento psíquico vivido pela criança, que transparece com estes sinais exteriores.
Qualquer destas problemáticas têm sucesso com o Acompanhamento
Psicoterapêutico, no entanto e antes de mais, julgo ser importante, que leve o Y a fazer um Exame Psicológico, onde poderá obter as respostas precisas a esta situação e aí sim, ver da necessidade ou não de um possível Acompanhamento Psicológico. Para este efeito deve procurar um Psicólogo
clínico que faça os ditos Exames.

 

Criança com Deficiência

Caro X,

Lamento só agora responder à vossa questão, mas não me foi mesmo possível antes, no entanto, tentarei responder às dúvidas que colocaram.

Parece que vocês pais, estão de facto preocupados com a situação da Y, pois para além da deficiência ao nível motor que ela apresenta que por si só é já motivo de preocupação, existem sinais visíveis de sofrimento psíquico devido aos medos ao dormir e ao brincar, por vós referidos.

Não tenho muito mais informação sobre a Catarina e pouco mais vos posso adiantar sobre o seu caso, no entanto, parece-me importante (se esses medos persistem e a vossa aflição também) encaminhá-la a uma consulta e fazer um exame psicológico, de modo a fazer o despiste exacto da situação e averiguar da necessidade ou não de um acompanhamento psicológico, mediante os resultados desse exame. Penso ser esta a forma mais correcta de conduzir a situação, tanto para vocês como pais, para poderem receber a informação de que precisam para lidar com o caso, como para a própria Y, por estar em sofrimento e isso poder comprometer o seu desenvolvi mento.

Sem outro assunto,

com os melhores cumprimentos

Andrea Moniz .

 

Condutas autodestrutivas graves

Caro X,

recebi o seu email e o que tenho a dizer sobre o caso que me apresentou é que de facto, a sua amiga precisa de acompanhamento Psicoterapêutico urgente, visto apresentar condutas autodestrutivas graves. É bom ela poder contar consigo como amiga e nestas ocasiões as amizades boas e válidas são sempre importantes, mas o que me parece pela situação exposta é que neste momento as amizades já se mostram insuficientes e a indicação vai para uma ajuda profissional autêntica.

 

D

Depressão

Cara X

De facto a situação que está a atravessar é particular, e no que toca a si mais particular ainda, visto que nutre um sentimento forte por essa pessoa.

O que deve fazer só a X sabe... mais ninguém. Encontra-se perdida e com o seu amor-próprio muito desvalorizado. Compreendo isso. De facto a ajuda de um Psicólogo Clínico, serviria para a ajudar, não sozinha, a reflectir sobre o que se está a passar consigo e a tomar decisões que sejam mais adequadas a si e ao seu querer combatendo essa Depressão que parece querer espreitar. Seria de facto o mais indicado, caso a situação persista e continue sem saber lidar com ela, aumentando esses traços depressivos tão nocivos ao seu bem-estar. 

 

G

Gaguejar

Caro X,

Parece de facto que a ansiedade e o gaguejar, estão a ser factores stressantes no seu dia-a-dia e que acima de tudo lhe causam muito embaraço social, logo, vai reflectir-se no conceito que tem de si próprio e por aí fora...

As razões que estão a conduzir a isso podem ser várias...Como o X refere, têm havido vários acontecimentos na sua vida que vêem acentuar essa situação. Então como resolvê-la?

Sem dúvida que só conhecendo-nos, a nós próprios bem, poderemos arranjar os recursos internos (que estão dentro de nós e não fora) para resolver as nossas inseguranças e falta de maturidade psicológica. O falar com um Professor, só poderá ajudar no sentido de um desabafo como se faz com um amigo interessado, mas é insuficiente para a resolução do problema. Pensar num processo Psicoterapêutico seria sem dúvida o mais indicado, mas precedido de um Exame Psicológico que diagnostique com precisão a situação de modo a fazer o despiste dessa gaguez, que me parece de facto directamente associada à ansiedade. No entanto apenas um Exame Neuropsicológico com enfoque na Linguagem falada o poderá despistar com certeza. Deve procurar um Psicólogo Clínica especializado na área da Neuropsicologia.
Cumprimentos,

 

H

Hiperactividade

Caro X,

Respondendo ao seu email, a Hiperactividade nas crianças é sinal de sofrimento psíquico grave, é de facto um "pedido de ajuda" por parte da criança porque não está bem! Não está bem ao nível psicológico, que se reflecte na sua conduta geral: no brincar, com os pais, na escola, enfim... em todas as circunstâncias e situações da sua vida, umas mais do que outras. Muita coisa explica a Hiperactividade, mas cada criança tem a sua vivência e para se poder ajudar cada caso em particular é necessário conhecê-lo (o que não é possível via Internet). Por isso, caso essa conduta hiperactiva já se registe há mais de 2 meses e continue a persistir é importante que encaminhe o seu sobrinho a uma consulta , de modo a fazer o despiste exacto da situação e averiguar da necessidade ou não de um acompanhamento psicológico, por ele estar em sofrimento e isso poder comprometer o seu desenvolvimento.

Votos de recuperação do seu sobrinho.

Com os melhores cumprimentos

 

O

Orientação Vocacional

Caro X,

Não lhe sei indicar na net uma página com testes, com certeza se pesquisar mundialmente pode encontrar. No entanto, parece-me importante informá-lo que qualquer teste que encontre na Net, será sempre com um título mais lúdico e de carácter menos sério e profissional. Nesse sentido e visto as nossas escolhas profissionais serem demasiado importantes, penso que deve procurar fazer uma Orientação Vocacional com um Técnico especializado, até porque só eles têm acesso aos Testes (visto tratar-se de material confidencial que pode ser apenas utilizado pelos mesmos), e só eles  os sabem interpretar e dar-lhe o encaminhamento mais adequado às suas aptidões e interesses profissionais que revelar.

Com os melhores cumprimentos,

Orientação Vocacional

Cara X

As sessões de orientação Vocacional são 3:

1ª  Entrevista inicial;

2ª Aplicação de bateria de testes ( de interesses, de aptidões e de personalidade)-

3ª Entrega de Relatório Final e discussão de resultados-

Este serviço não é pago pela Segurança Social, por não estar incluído na saúde, como a Psicoterapia está.

Obrigada pelo seu contacto!

 

Conseguir fazer testes pela Internet

Cara Y

acho complicado conseguir fazer testes pela Internet, pelo menos não conheço nenhum site com os testes. O que há são os nomes dos testes à venda, e a sua explicação, mas nunca os testes proriamente ditos, pois são material confidencial que só pode ser manuseado por psicólogos. Por isso o melhor que tem a fazer é procurar psicólogos aí que façam esse trabalho, ou instituições a isso destinadas. No entanto pesquise na Internet , nunca se sabe se encontrará algo que a ajude. Se viajar até Lisboa contacte-me, é a única coisa que lhe posso dizer assim à distância.

Felicidades

 

P

Perturbações de Personalidade

Perturbações sexuais

Caro X

você tem 19 anos e está na idade de todas essas "loucuras", seja como for,
quando há uma doença incurável (que não me disse qual), temos que agir com
maturidade, pois estamos a lidar com a díade Vida e Morte, tanto para nós
como para os outros, e você sabe disso, senão não estaria preocupado e não
tinha enviado a sua questão.
O que terá de reflectir é porquê que sucumbe dessa forma quase desesperada
ao prazer, porquê essa necessidade intensa que não é capaz de controlar,
porquê que não consegue fazer sexo seguro e protegido e usufruir ao máximo
dentro dos condicionantes da sua doença, porquê que não é capaz de aceitar as suas limitações?
Seria muito útil reflectir sobre isso e se possível acompanhado, isto é por
um psicólogo/a clínico que o ajudasse a se encontrar.
Cumprimentos,

 

Profissão de psicólogo

Cara X,

Em resposta ao seu email, devo dizer-lhe que as questões que coloca são muito vastas e eu poderei responder-lhe, mas assim por email será de uma forma sucinta. No entanto tentarei esclarecê-la.

As possibilidades de emprego, como nas outras profissões não são fáceis, é preciso lutar, ser muito bom profissional e destacar-se dos demais. Existe muito a fazer na Psicologia Clínica, isto por um lado é positivo por outro faz com que tenhamos que começar projectos do nada e criar essas necessidades na sociedade. A Clínica privada é uma excelente saída, mas apenas para os melhores. Há colegas sem pacientes e outros com a agenda cheia, tem muito a ver com o trabalho q cada um desenvolve.

O trabalho é nos hospitais, centros de saúde, associações de várias vertentes, colégios, na formação profissional, etc....

O meu dia a dia é em consultas, com crianças, jovens, adultos, com uma grande diversidade de problemas; supervisão e na formação.

A questão dos problemas dos pacientes interferirem connosco próprios, é claro que nós somos humanos e por isso sensíveis, mas por isso mesmo temos supervisão com outros colegas psicólogos e em conjunto vemos os casos que nos estão a trazer mais dificuldade e tudo se ultrapassa.

Em relação a si e às suas dúvidas, parece-me importante passar por um programa de Orientação Vocacional, que lhe esclareceria todas as questões e lhe daria informação precisa sobre si própria, o que a permitiria decidir com bases correctas, visto que "a nossa carreira e os nossos interesses para uma vida serem demasiado importantes para deixarmos essas decisões ao acaso".

 

S

Stress acentuado

Caro X,

Vejo q procura ajuda, fala em Stress acentuado e procura saber um diagnóstico, nesse sentido o encaminhamento que lhe faço é a marcação de consulta, pois facilmente compreenderá que não se fazem diagnósticos por email. Posso-lhe no entanto dar algumas dicas, mas tenho pouca informação para lhe falar em diagnóstico preciso e rigoroso.

O Stress é um sintoma que pode aparecer em todo o tipo de diagnóstico, para precisar de facto o que se passa consigo, é necessário conhecer as causas desse Stress, as suas origens, por outro lado é necessário informação ao nível da sua estrutura de personalidade e quais as áreas q se encontram mais vulneráveis de modo a delinear um processo terapêutico adequado. É pois isso q lhe proponho.

 

T

"Turbilhão" de pensamentos”

Caro X

Em resposta aos seus vários emails, e porque nunca deixo de responder, considero de facto que tem um "turbilhão" de pensamentos” q fluem juntamente com as emoções de forma "desenfreada e sem controlo", reporto-me aos três momentos em q escreveu.

Não lhe vou fazer um diagnóstico via email, nem falar-lhe dos termos técnicos q correspondem ás várias partes do seu discurso, como sugeriu, penso que não traria nada de positivo e por isso não faria sentido. O q quero destacar da sua mensagem é o sofrimento psíquico e emocional evidente, gerador de pensamentos com características negativas relativamente a si próprio e na relação com os outros, com o trabalho, enfim... toda a parte social e relacional que parece estar a ser vivida muito aquém do satisfatório para si .

Nesta vertente, e embora tenha começado por dizer não estar interessado em iniciar uma Psicoterapia até pelos seus custos, não posso deixar de encaminhá-lo nesse sentido, por ser de facto o encaminhamento correcto para o seu caso, até porque parece que tem muita coisa para "dizer", "trabalhar" e "aprender a lidar com", tudo isto com o objectivo final de,  baixando o sofrimento , aumentar a adaptabilidade emocional. Relativamente aos custos, já lhe tinha proposto uma ajuda nesse sentido ... Há sempre forma de fazermos as coisas quando realmente queremos!

Testes Psicotécnicos e de personalidade

Cara X,

Em resposta ao seu email, acerca da entrada na Força Aérea e dos livros de testes que existem, nós psicólogos valorizamos pouco esses livros, isto para lhe falar sinceramente. Porque o objectivo de passar por esse tipo de provas é de facto para ver se tem ou não aptidão para essa área, ora estar a "preparar-se" serviria para se sentir mais segura, mas se, de facto a X sente ser essa a sua vocação, então não terá de se preocupar, pois certamente os resultados irão no sentido mais favorável para si. Dar-lhe o nome concreto de uma publicação, não sei, tenho conhecimento de existirem na "FNAC". Poderá procurar testes de aptidões, existem vários referentes aos vários tipos de aptidões, ex.: numérica, verbal, espacial, mecânica, etc. ... Depende se vai para uma área específica da F. A. logo os testes se adequarão.

Existem milhares de testes diferentes e por mais que treine podem-lhe sair sempre outros, que servem para "medir" a mesma coisa, mas têm exercícios diferentes portanto é muito difícil conseguir acertar nos que irão sair.

Existem Tb. os testes de personalidade, que podem ser em forma de questionário ou de outra menos estruturada. Estes irão dar o seu perfil ao nível da personalidade. Convém ser sincera pois os testes estão preparados para perceber se houve ou não simulação e logo o perfil se torna inválido.

Quanto à Orientação Vocacional, junto lhe envio o preçário (ver preçario actual):

São 3 sessões:

  1. Consulta- entrevista 
  2. Avaliação Vocacional ( aplicação de testes ) 
  3. Discussão dos resultados e entrega do Relatório

Web Analytics